31.8.09

Animal de estimação

A.D.

Auto-retrato

TANER KILINC - Georgia



Auto-retrato


Corpo largo
olhos tristes
e alma gorda.

Tuca Kors

Krzysztof Buchowicz - Maldivia

Sal amargo

É fácil ser profeta --
basta predizer o ruim.
O pior sempre acontece.

Tuca Kors

Pohnpei_Nathan Fitch- Micronesia


Transformistas

são as nuvens, a pele d'água
e a minha alma,
quando tocadas pelo vento.

Tuca Kors


Breathing Earth






Além de indicar quantos nascem e morrem no mundo a cada instante,
indica a população de cada país, colocando o cursor em cima,
e as emissões de co2.
É notavel o movimento na China e na India.


Clic no link abaixo:
http://www.breathingearth.net/




Um beijinho de obrigada pelo envio, Zã:)



30.8.09

A importância de se conhecer o cliente!!!

Um desanimado vendedor de Coca-Cola volta de uma frustrada temporada em Israel. Seu amigo lhe pergunta: - Por que você não conseguiu ter sucesso com os israelenses?O vendedor lhe disse: - Quando eu fui designado para o Oriente Médio, eu estava confiante de que conseguiria vender muito bem nas áreas rurais. Mas havia um problema, eu não sei falar hebraico. Então, pensei em criar uma sequência de três cartazes para transmitir minha mensagem de vendas. Primeiro cartaz: - Um homem caído na areia do deserto... totalmente exausto, a ponto de desmaiar. Segundo cartaz: - O homem está bebendo Coca-Cola. Terceiro cartaz: - Nosso homem, agora completamente recuperado. Então, mandei afixar estes cartazes em todos os lugares.




- Bem, me parece que isso deveria ter funcionado muito bem: disse-lhe o amigo;
O vendedor respondeu : - Eu só não sabia que os judeus lêem da direita pra esquerda!



a velha árvore fecha seus olhos ásperos
quando nos vê passar
estremecem raízes e troncos
no desejo de um passo
Nydia Bonetti

Animal de estimação

Malcolm-and-the-dogs - Reino Unido



Celtic Tarot - 00_Major_Fool.



por que perco meu tempo — palavra
a te buscar 
em vãos 
onde não habitas
se só te encontro nos porões de mim
Nydia Bonetti





ANTECIPANDO A PRIMAVERA! LIMPE A JANELA




LIMPE A JANELA


Feliz primavera!
Clique no vidro da janela abaixo e espere um pouco.
Após aparecer uma segunda janela, dê um clique na mesma,
arrastando o cursor do mouse pela tela toda - como se fosse um pano seco.
Inverno se vai e a Primavera chega, junto com os pássaros e beija-flores....
Muito bem feito.

Boa semana a todos!

Um beijinho de obrigada pelo envio, Zi!

A necessidade de rezar parece universal.





A necessidade de rezar parece universal. Não sabemos de nenhuma cultura do passado ou do presente em que não houvesse oração. As pessoas oram quando estão felizes ou tristes, durante comemorações ou tragédias, nos nascimentos e por ocasião de mortes, em tempos de paz ou de guerra, em catedrais ou nos carros, na pobreza e na riqueza. Parece que a oração está em nosso sangue.
Assim como o rumorejar cósmico, que encheu nos inícios todo o universo, a oração é uma presença continua na terra, um constante rumorejar no mundo todo. E assim como o rumorejar de fundo do universo, também a oração nos lembra nossas origens. Pois a oração nada mais é do que comunicação com o absoluto donde proviemos, com o qual estamos conectados e para o qual retornaremos.
Larry Dossey

Trecho da Introdução de "A Energia da Oração", de Thich Nhât Hanh

28.8.09

"Amar é estender o seu corpo em direção a um outro corpo; mas é também, mais fundamentalmente, exigir que esse corpo que ele deseja, também se estenda; é desejar o desejo do outro. "
-Hegel.

Todas as rosas são a mesma rosa

wakacje_2008-Krzysztof Kedra -Polonia



Todas as rosas são a mesma rosa,
amor!, a única rosa;
e tudo está contido nela,
breve imagem do mundo,
amor!, a única rosa.


Juan Ramón Jiménez

Que acontece...

beautiful_banyan_tree - Terry Sidion - Malasia



Que acontece a uma música,
quando deixa de soar;
e a uma brisa que deixa
de voar,
e a uma luz que se apaga?
Morte, diz: que és tu, senão silêncio,
calma e sombra?

Juan Ramón Jiménez

Animal de estimação

equality_ws_79559660



Eu não voltarei.

ksiezyc_nad_moim_miastemweb-polonia


Eu não voltarei. E a noite
morna, serena, calada,
adormecerá tudo, sob
sua lua solitária.
Meu corpo estará ausente,
e pela janela alta
entrará a brisa fresca
a perguntar por minha alma.

Ignoro se alguém me aguarda
de ausência tão prolongada,
ou beija a minha lembrança
entre carícias e lágrimas.

Mas haverá estrelas, flores
e suspiros e esperanças,
e amor nas alamedas,
sob a sombra das ramagens.

E tocará esse piano
como nesta noite plácida,
não havendo quem o escute,
a pensar, nesta varanda.

Juan Ramón Jiménez


faz-me perfume e chama

Jacarta - Darren Lim - Indonesia




Inflama-me, poente: faz-me perfume e chama;
que o meu coração seja igual a ti, poente!
descobre em mim o eterno, o que arde, o que ama,
...e o vento do esquecimento arraste o que é doente!

Juan Ramón Jiménez




.

27.8.09

"Pra você que me esqueceu" e que eu nunca esquecerei


Resfriado não combina com aniversário!
Bom mesmo é ganhar de presente
teu sorriso aberto,
teu generoso abraço,
tua presença, tua amizade.
Tudo isto vale como presente!
Ivan, meu querido.
21.01.09





Luciana Paez e o ator Ivan Kraut





26.08.09
Fica na Paz, querido meu!










Homenagem ao ator Ivan Kraut que partiu jovem, mas deixará saudades em todos. Solo do personagem Dr. Acácio, no musical 'O Primo Basílio' que o ator fez durante os meses de junho de julho de 2009.

Aquarius


Ao Ivan, querido, com todo o carinho da Tuca. Fica na Paz! [26.08.09]


Aquarius
Hair
Composição: Ragni / Gerome / Macdermot / Galt / Rado / James






Age Of Aquarius


Quando a lua estiver na sétima casa
E jupiter alinhar-se com o marte
Então a paz guiará os planetas
E o amor dirigirá as estrelas

Este é começo da época de aquarius
A época de aquarius
Aquarius!
Aquarius!

Harmonia e compreensão
Simpatia e confiança existirá
Não mais falsos ou ridículos
Sonhos vivos brilhando as visões
Revelação de cristal místicos
E a liberação da verdadeira mente
Aquarius!
Aquarius!

Quando a lua estiver na sétima casa
E jupiter alinhar-se com o marte
Então a paz guiará os planetas
E o amor dirigirá as estrelas

Este é começo da época de aquarius
A época de aquarius
Aquarius!
Aquarius!





Deixe o brilho do sol entrar

Nós olhamos esfomeados para outro que não pode respirar
Andamos orgulhosos com nossos casacos de inverno
Vestindo cheiros de laboratório
Encarando uma nação que morre
De uma estória escrita que é real
Ouvindo as novas mentiras contadas
Com supremas visões de músicas solitárias

Em algum lugar
Dentro de alguma coisa há um pouco de gratidão
Quem sabe o que nos espera em frente a nossas vidas
Eu baseio meu futuro em filmes no espaço
O silêncio me conta em segredo
Tudo
Tudo

Manchester Inglaterra Inglaterra
Manchester Inglaterra Inglaterra
através do oceano atlântico
E eu sou um gênio, gênio
Eu acredito em Deus
E acredito que Deus acredita em Claude
Que sou eu, que sou eu, que sou eu
O resto é silêncio
O resto é silêncio
O resto é silêncio

Nós olhamos esfomeados para outro que não pode respirar
Andamos orgulhosos com nossos casacos de inverno
Vestindo cheiros de laboratório
Encarando uma nação que morre
De uma estória escrita que é real
Ouvindo as novas mentiras contadas
Com supremas visões de músicas solitárias

Cantando
Nossas mósicas do espaço em uam citara de teias de aranha
A vida está na sua volta e em você
Responda por Timothy Leary, ternamente

Deixe o brilho do sol
Deixe o brilho do sol entrar
O brilho do sol entrar
Deixe o brilho do sol
Deixe o brilho do sol entrar
O brilho do sol entrar
Deixe o brilho do sol
Deixe o brilho do sol entrar
O brilho do sol entrar

25.8.09

QUEM DISSE QUE É PARA SEMPRE?



Nada é para sempre. Deveríamos começar a amar sabendo que seremos desamados. Ou seja, amar sabendo que não seremos amados como gostaríamos. Ou melhor, amar sabendo que o amor pode acabar ou que sequer poderemos começar a ser amados. O problema é que só o amor nos é óbvio. Erramos quando queremos só saber do amor. Tomamos a perda como se ela não existisse. Tudo gira em torno da beleza. Tudo só fala do ter. Não aprendemos a lição. Sempre recomeçamos nossos amores achando que todos os nossos desconfortos serão amenizados. Pobre do jovem que recusa olhar para a sua velhice em seus pais. Pena de quem não caiu a ficha de que toda vitória é sempre transitória. Coitado dos ansiosos. Triste pelos angustiados. Viver é também doer. Sobra-nos arrogância pela eternidade. Falta-nos serenidade para amar o que não podemos.
Evaristo Magalhães - Psicanalista








.

Frases re_feitas

122206_forsakenvii - Filipinas


O tempo não é o melhor remédio.

E engano seu: a esperança não é a última que morre.




.

A vida é perto

Pinacoteca São Paulo _Menina e moca - Francisco Leopoldo e Silva - foto Alex Kors



RUY CASTRO

A vida é perto

RIO DE JANEIRO - O conceito é de Millôr Fernandes (quem mais?), e meio que se explica por si mesmo: a vida é perto. Foi dito por ele para nossa querida amiga, a cantora Olivia Byington, a respeito de alguém que, sendo carioca e morando no Rio, fazia questão de ter casas e apartamentos em várias cidades do planeta. "A vida é perto, Olivia", disse Millôr. Sem elucubrações outras. Ela entendeu, contou para todo mundo e todo mundo entendeu.
Foi também de Millôr que roubei o conceito de que o ideal é morar, no máximo, até o 4º andar -para conservar a perspectiva humana. Por isso, há anos, ao comprar um apartamento no Rio, fiz questão de que, ao chegar à janela, eu estivesse ao alcance da voz de quem passava lá embaixo, na calçada. De que pudesse ler a tabuleta na carrocinha com o preço do Chica-bon e, idealmente, distinguir a cor dos olhos das moças a caminho da praia -único item que não foi atendido, porque elas passam de óculos escuros. Enfim, a vida é perto.
Na semana passada, uma autoridade sanitária paulistana, preocupada com as possibilidades de contágio da gripe suína, disse que a situação é grave porque, em São Paulo, as pessoas passam o dia em interiores: no ônibus, no metrô, no escritório, na fábrica, no restaurante, em casa ou na casa dos outros. Impossível o espirro individual. Dali inferi que, em algumas cidades, a vida é dentro. E que, nas demais, o Rio, por exemplo, a vida é fora.
Pode-se estender o conceito a muitas categorias, como a de que a vida é hoje, ontem ou amanhã, de que é agora ou nunca, ou de que é um amistoso ou a valer três pontos. Tudo vale. Acacianismos a parte (tipo "Viver é muito perigoso", Guimarães Rosa), talvez levássemos vida melhor se tivéssemos mais tempo para pensar nela.
Mas não dá, porque a vida, quando acordamos para ela, é depressa.

24.8.09

Animal de estimação

Nigeria - Pieter Hugo



Um poema

A.D.


No relógio daquelas madrugadas,
quando eu era menina e estava insone,
a velhinha do Tempo tricotava
longas tiras de medo: minha morte
ia sendo preparada nessa trama.
Sedas, farrapos, teias tão soturnas,
todo o terror que eu esquecia
quando me libertavam sol e cores.
Alguma coisa ficou daquelas noites:
o metal dos ponteiros, as agulhas,
as mãos ossudas das bruxas noturnas,
tudo continua na urdidura
do fio singular da minha sorte.
Lya Luft

22.8.09

Soneto de Fidelidade

"O Fotógrafo e a sua Musa" - Alex Kors


Soneto de Fidelidade


De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive) :
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes

20.8.09

Guia para incautos

A.D.




Suzana Herculano-Houzel



[...] Pensamentos negativos não causam câncer e infecções (embora aumentem a percepção do estresse)

Minha equipe ganhou mais uma integrante, Carol, que foi prontamente encarregada de procurar na internet vídeos sobre neurociência para comentarmos em meu site.
Em tempos de YouTube, é fácil achar pérolas como a palestra do neurologista Vilayanur Ramachandran no TED (Technology Entertainment Design), conversas entre o papagaio Alex e a neurocientista Irene Peppenberg, entrevistas com especialistas e demonstrações de como o cérebro é ludibriável (procure por "awareness test" e boa sorte!).
Há também uma enormidade de besteiras disponíveis. Besteiras escrachadas, como a aula musical de neuroanatomia dada por Pinky e Cérebro, são divertidas e inofensivas (procure "Pinky Brain Song" e logo você estará, como nós no laboratório, fazendo coro com Pinky: "Brainstem! Brainstem!").
As besteiras preocupantes são as supostamente sérias, como uma que deixou Carol pasma: uma matéria de uma TV brasileira onde um indivíduo ensinava os passantes a fazer "ginástica cerebral".
Como? "Massageando o lobo frontal" através da testa para aumentar o fluxo de sangue, fazendo movimentos cruzados com braços e pernas para ativar os dois hemisférios cerebrais... Céus.
Não seria possível, eficaz nem sensato fazer uma lista do que "é sério" ou do que "é enganação" em vídeos, sites e livros -inclusive porque não sou boba de sair por aí acusando pessoas de enganar seu público. O remédio, em minha opinião, é o mesmo de sempre: informação, para que cada um decida por si só no que acreditar e do que duvidar.
Segue um pequeno guia para incautos, então. Você usa os dois lados do seu cérebro, sempre, e não importa se é homem ou mulher. O lado direito do cérebro de fato cuida do lado esquerdo do corpo, mas tanto a emoção quanto a racionalidade, e também a linguagem e até a criatividade dependem do trabalho dos dois hemisférios, e não de um só.
O fluxo de sangue no cérebro é regulado precisamente pela atividade mental, e massagens em qualquer parte do corpo não o alteram; pensamentos negativos não causam câncer e infecções (embora, de fato, reduzam a motivação e aumentem a percepção do estresse); pensamentos positivos só ajudam porque trazem mais motivação e, com isso, mais chances de agirmos positivamente. E a melhor maneira de promover sua atenção, memória e aprendizado é... usando a atenção e a memória e aprendendo coisas novas.
Não há almoço de graça para o cérebro...

SUZANA HERCULANO-HOUZEL, neurocientista, é professora da UFRJ e autora do livro "Pílulas de Neurociência para uma Vida Melhor" (ed. Sextante) e do blog "A Neurocientista de Plantão"

NEUROCIÊNCIA
equilíbrio - Jornal Folha de São Paulo

Terror e consumo

bulent erol - Turquia






Dulce Critelli

[...] A MELHOR FÓRMULA PARA DOMINAR UM HOMEM É MANTÊ-LO ENTRETIDO COM A SATISFAÇÃO DE SEUS DESEJOS E NECESSIDADES

O caderno "Mais!" publicou, em 9/8, o trecho de uma carta de Isaiah Berlin para um amigo, na qual ele falava de suas impressões sobre o compositor russo Dmitri Chostakóvitch quando este foi à Inglaterra receber um prêmio.
Era 1958, plena Guerra Fria, e Berlin comenta os males que o regime comunista havia feito a Chostakóvitch, cujos atos e rosto mantinham permanentes pavor e assombro. Observa a devastação que regimes totalitários causam nas pessoas, aniquilando nelas suas possibilidades de indignação, de resistência, de protesto, a ponto de elas passarem a achar sua situação absolutamente normal.
De fato, a duração prolongada da repressão torna-a uma experiência familiar e natural.
As pessoas não a veem mais como a origem de seu sofrimento. Ao contrário, o mal é proveniente delas próprias, de qualquer discordância ou contestação que façam ao regime.
A pianista Zhu Xiao-Mei, que viveu sob o governo de Mao, relata em seu livro "O Rio e Seu Segredo" situação semelhante.
Também ela incorporou, como se fossem suas e contra si mesma, as crenças e ideais dos seus opressores. Para anular o que considerava males burgueses, o regime impediu o acesso dos estudantes a qualquer informação ou literatura, senão o "Livro Vermelho" de Mao.
O exercício do terror pelos sistemas totalitários, mesmo que respaldado pela fundamentação das ideologias, revela o excesso de ignorância que dominou parte do mundo no século 20. E a inexorável conexão entre violência e ignorância.
Violência e ignorância sempre se associam contra o que é diferente, criativo, novo, livre...
Perseguem, vigiam, destroem o que não aceitam, não conhecem e não compreendem. Só a ignorância é capaz de se imputar a posse da verdade e de empunhar a violência.
Não experimentamos, no Brasil, a potência destrutiva e asfixiante desses regimes totalitários. Até a ditadura militar foi uma pálida sombra diante deles. Se há uma experiência atual que nos permite compreender o medo e o terror sofrido pelas pessoas sob governos totalitários é o medo da violência urbana.
No âmbito da política, as formas de governo que se servem do terror estão em extinção.
Não porque se tenha abandonado a pretensão de controle e obediência absolutos, mas por se ter aprendido que esse controle é possível sem o terror.
O consumo substituiu o terror. Parece que se entendeu que a melhor fórmula para dominar um homem é mantê-lo entretido e obcecado com a satisfação de seus desejos e necessidades. Para tanto, a manipulação da opinião pública, fazendo-a crer que tais desejos e necessidades são originalmente seus, é o principal meio.
Básicos ou supérfluos, desejos e necessidades são insaciáveis. Aprisionam-nos num ciclo sem fim de reposição e canalizam para si a energia disponível. Ficamos sem forças para a indignação, para o protesto, para os cuidados com o mundo, para a realização pessoal.

DULCE CRITELLI , terapeuta existencial e professora de filosofia da PUC-SP, é autora de "Educação e Dominação Cultural" e "Analítica de Sentido" e coordenadora do Existentia - Centro de Orientação e Estudos da Condição Humana

OUTRAS IDEIAS
equilíbrio - Jornal Folha de São Paulo



Quando um homem ama uma mulher...

[when a man loves a woman-Belgica-TrekLens]

A uma desconhecida



A uma desconhecida

Menopausa, desamparo, solidão
e o marido no bar

casa vazia, tempo vazio, aposentadoria
e o marido no bar

tarde de vento, sol branco estatalado
e o marido a dormir

desteceu a rede que a prendia
gaiola aberta no 6º andar

e o marido a dormir

voou pássaro
pousou poça no chão

.
.
.
.
.
.

e o marido disse que foi depressão


Tuca
19.08.09


Animal de estimação

A.D.

Em qualquer lugar do mundo, quando há luz tudo fica mais alegre


Zeca Camargo
Jornal Folha de São Paulo
09/03/2017

Pense numa cidade cinza. Aplique mais uma demão da mesma cor. Acrescente um céu plúmbeo. Um pouco de chuva. E blocos e mais blocos concreto. Bem-vindo a Riga.
Tenho certeza de que um dia de sol na capital de Letônia tem uma atmosfera diferente da que eu vivi neste Carnaval. Como qualquer lugar do mundo, quando há luz tudo fica mais alegre. Mesmo assim, num esforço de imaginação, a lembrança de Riga é sempre o cinza.
Talvez seja a forte memória do monólito da "Latvijas Radio" –uma sólida construção de linhas retas, na frente da Catedral Doma, que é um registro impossível de ser apagado do passado soviético deste lugar. Já tinha chamado minha atenção quando passei por ele ao visitar a catedral, que é simples e imponente. Mas dando voltas pela parte antiga da capital logo que a noite chegou voltei a olhá-lo de perto por conta de um violoncelo.
Estava exausto de tanto circular o dia todo pelas suas ruas –sim, cinzas. E até um pouco perdido: como um efeito colateral de tanta austeridade arquitetônica, seu senso de orientação entra em parafuso depois de um dia dobrando esquinas quase idênticas. Eu tentava achar um caminho rápido para me levar ao hotel, quando ouvi aquele som: na porta da "Rádio Letônia" um músico tocava o seu instrumento.
Queria dinheiro, claro. E levou três generosos euros do meu bolso. Mas, para além disso, senti que havia uma missão naquele seu tocar. Emocionado com a ponte que aquele som fez com a história da própria Riga, senti que estava ali não dando uma esmola, mas pagando o preço justo pela entrada de um museu sobre a vida da cidade.
Era o fechamento de um dia que me encheu de melancolia. E digo isso sem medo de assumir essa tristeza: mente sempre o turista que só narra passagens felizes, como se apenas essas experiências pudessem justificar uma viagem. O Carnaval em Riga foi uma sucessão de sensações sombrias que, ao contrário do que pode sugerir um "visitante ensolarado", tornaram a minha jornada ainda mais interessante.
Nos primeiros momentos no país que eu ainda não conhecia, senti-me miserável. Será que tinha acertado o destino? Ao pé da torre de Pólvora, um dos monumentos mais antigos da cidade, hesitei: não quis nem entrar para ver o Museu da Guerra, tamanho era o desânimo que se abateu sobre mim.
Decidi passear pelo parque Vermanes, mas a chuva conspirava contra meu otimismo. Num restaurante com vista para a Ópera, achei que fosse me recuperar, mas a comida só trouxe mais lembranças dos tempos da ocupação soviética.
Sem itinerário certo, saí a procura de algo que não fosse cinza –e encontrei raros verdes, brancos e vermelhos em fachadas art nouveau. Na exuberante praça da prefeitura, descobri até dourados. Ali ao lado, a igreja de São Pedro emprestava um pouco de beleza e fé à paisagem urbana. E com a noite caindo, um leve azul parecia querer clarear tudo antes de a noite chegar e entristecer tudo de vez.
Foi quando ouvi o violoncelo. O átrio na frente da "Rádio Letônia" estava vazio e eu era quase que a totalidade da plateia (seguramente o único passante que parou para ouvi-lo). Não reconheci o que estava sendo tocado, mas também não sou um grande conhecedor de peças clássicas. Mas fiquei hipnotizado.
E, num inesperado momento de sinestesia, aquela música me fez enxergar outras cores em Riga... 

19.8.09

Não conheci o desterro

venetian_mask - Pietro Bruno - Italia


Não conheci o desterro



Marly de Oliveira

Não conheci o desterro,
mas sei a quanto obriga.
Vivo na minha terra,
embora desencontrada.
Quem sabe
de mim, quem me ouve
o que não digo, quem segura
a rédea de meu sonho, permitindo
o risco da vertigem, o perigo
de conhecer o abismo?



A VERDADEIRA ARTE DE VIAJAR

i_am_special-Estonia_TrekLens

A VERDADEIRA ARTE DE VIAJAR

A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa,
Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo.
Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali...
Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando!

Mario Quintana - A verdadeira cor do invisível



Um beijinho de obrigada pelo envio, Zi:)

Pior que o cão é sua fúria


Pior que o cão é sua fúria

Pior que o cão é sua fúria, pior que o gato é sua garra, pior que a sanha de ferir a que se esconde sob feição de amor. Pior que a vida é a não-vida do que se faz espectador; nem mergulha, nem nada, nem conhece o mar fundo: está sempre à beira da estrada.

Marly de Oliveira


Annie Lennox - a voz





Alguns dos melhores temas pop dos últimos anos ficaram a dever o seu sucesso à voz e interpretação impressionantes de Annie Lennox. Quer a solo, quer integrada nos Eurytmics, o seu repertório de sucessos é extenso: Sweet Dreams, Why, Here Comes the Rain Again, Walking on Broken Glass ou o belíssimo No More I Love You's. Mais recentemente emprestou também a sua voz a algumas bandas sonoras, como Love Song for a Vampire (Bram Stoker's Dracula, de Francis Coppola) ou Into the West (Lord of the Rings: The Return of the King). Muitos dos temas que interpreta não são necessariamente pop; são covers que na sua voz assombrosa adquirem uma nova dimensão. Assim foi em 1991 com uma famosa composição de Cole Porter: Every Time We Say Goodbye. Sublime.
Publicado em musica por seven em 11 ago 2007
via Obvious



Mieskuoro Huutajat - homens a gritar



Gritar pode ser uma forma de expressão musical tão legítima como cantar. Que o digam os membros do Mieskuoro Huutajat (que significa literalmente "O Coro dos Homens Urradores"), um grupo de homens da cidade finlandesa de Oulu que têm obtido um enorme sucesso à escala mundial. E o que gritam eles? De tudo um pouco, embora no seu repertório abundem as canções tradicionais finlandesas e os hinos nacionais de vários países, interpretados de uma forma muito peculiar.

Segundo os próprios urradores, tudo surgiu como uma brincadeira no dia 6 de Dezembro do já distante ano de 1987, o dia nacional da Finlândia. Vestidos a rigor de fato escuro e gravata de borracha preta, vinte homens urraram um conjunto de canções tradicionais do seu país, hino nacional incluído, perante uma audiência estarrecida (note-se que os temas interpretados tinham pouco a ver com os originais). Passada a surpresa inicial, o público manifestou-se de forma muito favorável. Estava aberto o caminho para o sucesso.

Actualmente já nada disto é uma brincadeira. As composições são cuidadosamente escolhidas e desconstruídas de modo a serem adaptadas às características vocais do coro. Depois de "adaptadas" já pouco resta dos temas originais. A melodia desaparece e dá lugar a uma estrutura rítmica baseada nas partes essenciais do texto e a expressão pessoal espontânea dos próprios urradores é tida em conta. Há muito humor e muita ironia à mistura.

Recentemente, um dos membros, Mika Ronkainen, realizou um documentário sobre o percurso de sucesso do coro, que o tem levado desde a Europa ao Japão, passando pelos EUA ou pela ex-URSS. Mais informações na sua homepage.



Publicado em outros por bjr em 18 ago 2008
Obvious

17.8.09

Olinda


olinda_cantosfranciscanos_rodrigopassarelli_flickr



Álbum de fotos de Olinda, Pernambuco - Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade :



http://viagem.uol.com.br/album/guia/olinda_album.jhtm?abrefoto=6#fotoNav=1



Voamos


(Maria Teresa Horta)
Voamos a lua,
menstruadas
Os homens gritam:
- são as bruxas
As mulheres pensam:
- são os anjos
As crianças dizem:
- são as fadas
Maria Teresa Horta, in 'Os Anjos'

Outro Poema

Iran - TrekLens






Perguntais-me porque estou aqui, na montanha azul.
Eu não respondo, simplesmente sorrio, o coração em paz.
Caem as flores, corre a água, tudo se vai sem deixar marca.
É este o meu universo, diferente do mundo dos homens.


LI TAI PO

(c. 701-c. 762)



O Prazer da Síntese

spotted-jezabel_ Chris Chafer - Australia


Era uma vez um Imperador que gostava muito de borboletas. Um dia mandou chamar o pintor mais conhecido e admirado do Império e ordenou-lhe que pintasse uma borboleta. O pintor disse que para a pintar necessitava de uma casa grande e confortável, que estivesse situada no lugar mais bonito do reino, alguns criados e um prazo de três anos. O Imperador concedeu os pedidos. Ao fim de três anos o Imperador mandou chamar o pintor ao palácio e quis saber se ele já tinha pintado a borboleta. O pintor pediu ao Imperador que lhe fossem concedidos mais três anos de prazo, os mesmos criados e a mesma casa. O Imperador voltou a conceder os pedidos.
Ao fim de três anos o pintor chegou novamente ao palácio e, em frente do Imperador, em alguns segundos, com traço firme e sem levantar o pincel, pintou uma borboleta, tão bonita que nunca o Império tinha visto outra igual. O Imperador, contente mas surpreendido, perguntou ao pintor para que tinham servido os seis anos se ele fora capaz de pintar a borboleta em alguns segundos. O pintor respondeu que foram os seis anos de conforto e reflexão que tinham permitido a síntese, em alguns segundos, de uma multiplicidade de gestos.

Alfredo Saramago

A NOTÍCIA

A.D.





A NOTÍCIA

Quando recebi a notícia
fiquei calmo.
Não quis correr
nem gritar
nem desaparecer no mundo.
Apenas abri o meu peito
como uma velha gaiola
e retirei de lá meu coração,
um pombo agitado.
Então abri os dedos,
soltei-lhe as asas,
e deixei-o voar de volta
para o país distante
de onde ele veio um dia.

Júlio César Monteiro Martins

Duas "Luas" no céu

[http://funmadrid.ning.com/]


"Vale a pena"

O Planetario Internacional de Vancouver, da British Columbia - Canadá, calculou a precisão em que Marte estará orbitando perto da terra. Será no dia 27 de agosto de 2009.
Todavia, o mais interessante de tudo é que isto estava previsto em um código Maya, encontrado na piramide ao lado do Observatorio Estrelar em Palenque, Chiapas -México.
Com este cálculo matemático Maya, agora os Mayas estão sendo vistos como os gregos da America, e orgulho da Guatemala.
Pelo menos, quatro ou cinco gerações da humanidade não voltarão a ver este fenomeno natural, e poucas pessoas sabem até o momento, embora tenha sido noticiado em 11 de maio de 2009.
Duas Luas no Ceu
No dia 27 de Agosto, a meia noite e meia, olhe para o ceu,


O planeta Marte será a estrela mais brilhante do ceu, e será tão grande quanto a lua cheia, e estará a 55,75 milhões de kilometros da terra.
Não perca!!
Será como se a terra tivesse duas luas, e este acontecimento só se produzirá no ano de 2287.
Divulgue esta informação, pois nem todos terão a oportunidade de rever.




16.8.09

A trilha de Matsuo Basho em fotografias

Guy Bourdin

photo: © Guy Bourdin


Ele influencia nomes como David LaChapelle, Nick Knight e David Lynch. Até Madonna se rendeu a sua linguagem e foi processada pelo herdeiro Samuel por copiar fotos do pai em seu clipe “Hollywood”, de 2004. Contemporâneo de Helmut Newton, Guy Bourdin é menos pop que o colega mas muito mais cult. O fotógrafo e ilustrador francês nasceu em 1928, em Paris, e foi abandonado pela mãe um ano depois. Viveu no Senegal, recrutado pelo exército francês, onde começou a ter aulas de fotografia. Voltando a Paris, virou pupilo de ninguém menos do que Man Ray e logo foi escalado pela “Vogue“ francesa para rechear as páginas da revista com seu imaginário pra lá de erótico.
As páginas pra Bourdin eram duplas, recheadas de sexualidade e violência, fugindo do óbvio nas cenas cotidianas. Como desenhista, tinha total liberdade para criar. Pensava exatamente no peso de cada elemento e fazia inúmeros rascunhos antes de fotografar. Para Shelly Verthime, especialista no artista - e uma das autoras do livro “A Message For You” (sobre o universo criativo do artista e sua parceria profissional com a modelo Nicolle Meyer, também autora da publicação) – a singularidade do trabalho dele está “na composição, cores, jogo de real e irreal, mistério e surrealismo: “Enquanto todos os anúncios são iguais, ele explora o olhar através de uma fechadura”.
Guy Bourdin se tornou referência em publicidade através dos anúncios da marca de sapatos Charles Jourdan, pra quem contribuiu durante 14 anos. Sua identidade é tão forte que é impossível alguém ter passado pelos anos 70 sem notar suas campanhas. Romântico radical da profissão, acreditava na pureza do destino de cada imagem e não aceitava que uma foto fosse veiculada fora da mídia pra qual foi feita. Mas o fotógrafo não primava pelo zelo com seu acervo pessoal e muito de sua obra ficou perdida. Polêmico, ele chegou a anunciar que gostaria que tudo fosse queimado após seu falecimento. Pra sorte da fotografia, isso não aconteceu!
Depois de sua morte, em 1991, seu filho Samuel tomou as rédeas. Exposições com o trabalho do pai começaram a surgir pelo mundo. A que chega a SP na próxima semana, “A Message For You”, tem curadoria de Chico Lowndes e fica em cartaz no MuBE até o dia 31 de agosto. Imperdível!
[http://msn.lilianpacce.com.br/portfolio/guy-bourdin-portfolio/]



Veja mais em


http://www.guybourdin.org/


http://www.guybourdin.net/contents.html

Conheça algumas das árvores mais altas do mundo




Conheça algumas das árvores mais altas do mundo
Parte do documentário da BBC "Planeta Terra", trecho mostra algumas das árvores mais altas do mundo, em um bosque de sequóias, na Califórnia. Algumas delas vivem milhares de anos. Cortesia de imagens: Log On Editora.

15.8.09

Ilustrações coloridas apresentam aves brasileiras



THAÍS FONSECA
Da Redação - UOL
O livro "Abecedário de Aves Brasileiras" pode agradar tanto os leitores pequenos quanto os leitores adultos. O maior atrativo não são os textos, mas sim as ilustrações. Não é para menos. Quem assina o livro é o ilustrador mineiro Geraldo Valério, que escolheu um tema propício para usar muitas cores na técnica de colagem sobre o papel. As aves são apresentadas pelos desenhos, não há nenhuma foto. Livro usa técnicas de colagem para mostrar o visual de aves brasileiras
Ainda assim, o livro tem caráter educativo ao apresentar os nomes das espécies, muitas vezes desconhecidas. O índice segue a ordem alfabética e os textos são como o de um dicionário, com verbetes breves e informativos. Algumas letras ficam de fora, como K, W e Y. Nesta proposta, o leitor acompanha de A a Z o nome, a descrição e o desenho grande da ave, que ocupa uma página.

Entre os bichos descritos estão desde nomes mais conhecidos, como sabiá e tucano, até os mais estranhos, como Xenéu e Zabelê. Como as ilustrações são os destaques da edição, o legal é observar as formas das aves e seus detalhes caprichados no papel. Os desenhos, ao invés de saciar a curiosidade, acabam incentivando o leitor a procurar mais imagens e informações sobre as espécies que moram na mata do país.


ABECEDÁRIO DE AVES BRASILEIRAS
Autor e ilustrador Geraldo Valério
Editora WMF Martins Fontes


14.8.09

Por que eles choram?

Um beijinho de obrigada pelo envio, Zi:)

The Polyphonic Spree -The Quest For The Rest




Existem três CENÁRIOS diferentes até chegar ao destino final (3 ETAPAS).

Esperem carregar a página !!
Você tem que descobrir onde clicar, para abrir o caminho para as crianças passarem. É uma viajem... Quando superada a 1a. fase abre novo cenário e vc. vai evoluindo.



Um beijinho de obrigada pelo envio, Zã:)

"Meu anjo de guarda noturno:
Você é quem sabe de tudo.
E quando eu peço proteção
Não é pra fugir do ladrão
Nem pra me esconder na igreja
Eu quero é que Deus nos proteja
Das dores do coração"


Miltinho Edilberto


Arianna Caroli

13.8.09

ANVERSO

The Atlas Mountains can be found on Landsat 7


ANVERSO

Dormias. Eu te acordo.
A ampla manhã defronta a ilusão de um princípio.
Já havias esquecido Virgílio. Aí estão os hexâmetros.
Ofereço-te muitas coisas.
As quatro raízes do grego: a terra, a água, o fogo, o ar.
Um único nome de mulher.
A amizade da lua.
Os tons claros do atlas.
O esquecimento, que purifica.
A memória que escolhe e redescobre.
O hábito que nos ajuda a sentir que somos imortais.
A esfera e os ponteiros que parcelam o inapreensível tempo.
O perfume do sândalo.
As dúvidas a que chamamos, não sem alguma vaidade, metafísica.
A curva da bengala que tua mão aguarda.
O gosto das uvas e do mel.

Jorge Luis Borges

in A Cifra

Vida de Fotógrafo

A.D.




ser sincero no amor ou na arte

Raf Van Der Bogaert


Para que possa ser arte, não se lhe exige uma sinceridade absoluta, mas algum tipo de sinceridade. Um homem pode escrever um bom soneto de amor sob duas condições - porque está consumido pelo amor, ou porque está consumido pela arte. Tem de ser sincero no amor ou na arte; não pode ser ilustre em nenhum deles, seja no que for, de outro modo. Pode arder por dentro, sem pensar no soneto que está a escrever; por arder por fora, sem pensar no amor que está a imaginar. Mas tem de estar a arder algures. De contrário, não conseguirá transcender a sua inferioridade humana.

FERNANDO PESSOA

(1888-1935)

(in "Heróstrato e a Busca da Imortalidade")

PÁSSARO MORTO

Serra - Portugal



PÁSSARO MORTO


Durante muito tempo me interroguei
quando virás? Quando surgirás tu?
Nascerás da erva
emergirás do desconhecido
ou não és mais que um impossível amanhã?
Durante muito tempo me interroguei
e quando sondei os espelhos do tanque
dispersei-me entre os fragmentos dos espelhos
não encontrei o meu rosto em estilhaços
Vi-te a ti
e quando estendi as mãos
para tocar o teu rosto
os sinais da minha última ilusão dissiparam-se
tu dispersaste-te como os espelhos do tanque
e sobre a água ficou
um pássaro morto



SAMIH AL-QASSIM
(Tradução: Albano Martins)