9.2.14

Os passos em volta

(excerto)

O barulho do mar e do vento. A montanha, a ideia da montanha impraticável. E depois a terra arenosa por ali fora. E a solidão. E sentir sobretudo que já não pode haver medo.
Fecho as portas da casa, a porta de saída e as portas dos quartos entre si. E fico no quarto sem soalho e deito-me no chão. Ouço o mar e o vento à frente e atrás da montanha solitária e poderosa. Depois encosto a cara à terra profundíssima para escutar o seu húmido susurro atravessando-a toda e passando por mim. E então poderei morrer.

Herberto Helder








ímpio



escuto o silêncio de mãos postas
à espera de um ser que não existe
rezo uma oração (di/agnóstico)
a/teu coração - ó deus em riste

*líria porto




Zucchero - My Love

Arte-repetição





Antonio Brasileiro






Jim Carrey - I believe I can fly

A saudade

"A saudade é o bolso onde a alma guarda aquilo que perdeu."
Rubem Alves


Leveza

Leveza

Cecília Meireles

Leve é o pássaro:
e a sua sombra voante,
mais leve.

E a cascata aérea
de sua garganta,
mais leve.
E o que lembra, ouvindo-se
deslizar seu canto,
mais leve.
E o desejo rápido
desse mais antigo instante,
mais leve.
E a fuga invisível
do amargo passante,
mais leve.








Tão leve, tão suave ao toque

"E havia objetos que não se pareciam com nada na arte ocidental, objetos que só podiam ser descritos como "brinquedos", pequenos animais e mendigos entalhados chamados "netsuquês", que você podia segurar com os dedos.
(...)Eram todas coisas para se pegar com a mão, coisas  para agregar texturas.
(...)Tato apaixonado, descoberta das mãos, coisas envolvidas amorosamente ,plus caresse."

(Tão leve, tão suave ao toque) -" A lebre com olhos de âmbar", de Edmund de Waal 


Ciclos

"Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre vírgulas, aspas, reticências. Eu vou gostando, eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou… e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos. E vou dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros tem para me dar."

— Caio Fernando Abreu


Crows Playing On A Snowy Car

a cor do alzheimer

a cor do alzheimer

fui, não fui, já voltei
onde? quando? não sei!
pressa, inquietude, angústia

branco branco branco
- senhor de todas as horas

TucaKors
(08.02.2014)







obra-prima






Wu Wei


 Renata Braz 


fico onde estou
se o vento soprar
e me carregar
eu vou

na pedra 
eu me sento
se ela rolar
me movimento

não sopro o vento
não rolo a pedra
que a natureza decida
o melhor momento








O que vestir hoje?

by M. Nikolaevna




Rodrigo Leão & Beth Gibbons - Lonely Carousel

As minhas mãos mantêm as estrelas

As minhas mãos mantêm as estrelas,
Seguro a minha alma para que se não quebre
A melodia que vai de flor em flor
Arranco o mar do mar e ponho-o em mim
E o bater do meu coração sustenta o ritmo das coisas


SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN, in CORAL (1950) e OBRA POÉTICA (Caminho, 2010)