30.5.17

Moby 'Bodyrock' - UK Dance version



https://youtu.be/xe_PbWFAzZQ

Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir.



Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir.
Sentir tudo ele todas as maneiras.
Sentir tudo excessivamente
Porque todas as coisas são, em verdade excessivas
E toda a realidade é um excesso, uma violência,
Uma alucinação extraordinariamente nítida
Que vivemos todos em comum com a fúria das almas,
O centro para onde tendem as estranhas forças centrífugas
Que são as psiques humanas no seu acordo de sentidos.
Quanto mais eu sinta, quanto mais eu sinta como várias pessoas,
Quanto mais personalidades eu tiver,
Quanto mais intensamente, estridentemente as tiver,
Quanto mais simultaneamente sentir com todas elas,
Quanto mais unificadamente diverso, dispersadamente atento,
Estiver, sentir, viver, for,
Mais possuirei a existência total do universo,
Mais completo serei pelo espaço inteiro fora,
Mais análogo serei a Deus, seja ele quem for,
Porque, seja ele quem for, com certeza que é Tudo,
E fora d'EIe há só EIe, e Tudo para Ele é pouco.
Cada alma é uma escada para Deus,
Cada alma é um corredor-Universo para Deus,
Cada alma é um rio correndo por margens de Externo
Para Deus e em Deus com um sussurro soturno.

Álvaro de Campos


O amigo é a resposta aos teus desejos. Mas não o procures para matar o tempo! Procura-o sempre para as horas vivas. Porque ele deve preencher a tua necessidade, mas não o teu vazio.
-Khalil Gibran
__________arte de Berenice Rodrigues




UMA VOZ NA PEDRA



Não sei se respondo ou se pergunto.
Sou uma voz que nasceu na penumbra do vazio.
Estou um pouco ébria e estou crescendo numa pedra.
Não tenho a sabedoria do mel ou a do vinho.
De súbito, ergo-me como uma torre de sombra fulgurante.
A minha tristeza é a da sede e a da chama.
Com esta pequena centelha quero incendiar o silêncio.
O que eu amo não sei. Amo. Amo em total abandono.
Sinto a minha boca dentro das árvores e de uma oculta nascente.
Indecisa e ardente, algo ainda não é flor em mim.
Não estou perdida, estou entre o vento e o olvido.
Quero conhecer a minha nudez e ser o azul da presença.
Não sou a destruição cega nem a esperança impossível.
Sou alguém que espera ser aberto por uma palavra.

ANTÓNIO RAMOS ROSA, in FACILIDADE NO AR (Ed. Caminho, 1990)


Sunday - MOBY

A CASA



É um chalé com alpendre,
forrado de hera.
Na sala,
tem uma gravura de Natal com neve.
Não tem lugar pra esta casa em ruas que se conhecem.
Mas afirmo que tem janelas,
claridade de lâmpada atravessando o vidro,
um noivo que ronda a casa
— esta que parece sombria —
e uma noiva lá dentro que sou eu.
É uma casa de esquina, indestrutível.
Moro nela quando lembro,
quando quero acendo o fogo,
as torneiras jorram,
eu fico esperando o noivo, na minha casa aquecida.
Não fica em bairro esta casa
infensa à demolição.
Fica num modo tristonho de certos entardeceres,
quando o que um corpo deseja é outro corpo pra escavar.
Uma ideia de exílio e túnel.

ADÉLIA PRADO, in CORAÇÃO DISPARADO (Nova Fronteira, Brasil, 1978)

Keith Vaughan

PÁTRIA




Por um país de pedra e vento duro
Por um país de luz perfeita e clara
Pelo negro da terra e pelo branco do muro

Pelos rostos de silêncio e de paciência
Que a miséria longamente desenhou
Rente aos ossos com toda a exactidão
Dum longo relatório irrecusável

E pelos rostos iguais ao sol e ao vento

E pela limpidez das tão amadas
Palavras sempre ditas com paixão
Pela cor e pelo peso das palavras
Pelo concreto silêncio limpo das palavras
Donde se erguem as coisas nomeadas
Pela nudez das palavras deslumbradas

- Pedra rio vento casa
Pranto dia canto alento
Espaço raiz e água
Ó minha pátria e meu centro

Me dói a lua me soluça o mar
E o exílio se inscreve em pleno tempo



SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN, in LIVRO SEXTO( 1962), in OBRA POÉTICA (Caminho, 2010), in OBRA POÉTICA (Assírio & Alvim, 2015)






Ilustração de ©Gabriel Isak

Given Up (Official Video HQ) - Linkin Park

Szymborska expressa o imperativo ético do esquecimento [...] E ela tem razão. Porque tudo tem que chegar ao fim, até mesmo o luto. Se não o sangue nunca seca, o fim de um grande amor, torna-se o fim do amor próprio.


Foto: Manuel Angel
Vê-se no espelho e, com alguma compaixão nos olhos, reconhece: é um merdinha.
- Raul Drewnick

PIERO PIZZI CANNELLA

Audioslave - Show Me How to Live

AGORA ESCREVO (excerto)

[...]
E o amor,
Não o que destrói, o que não é amor,
Não a fúria dos corpos quando trocam
Desespero por desespero,
Não a suprema tristeza de existir,
A obscena arte de viver,
A ciência de não dar e receber,
Mas o amor que se traduz
Pela bondade, a confiança,
A pureza, a fraternidade,
A força de viver, de triunfar da morte,
De triunfar da sorte,
A vertigem de conhecer
Necessidade e liberdade!
[...]
ALEXANDRE O'NEILL, in NO REINO DA DINAMARCA (1958), in POESIAS COMPLETAS 1951/1986 (INCM, 3ª ed. , 1995)

Boutros Al-Maari - Syrian Artist 

Canção de abril


A ave do esquecimento
pousou sobre esse cinza
dos dias
e aconteceu
de eu chorar sozinho
na paisagem,
meio à queda de um império
muito antigo.
Eu assumo os suspiros
que ouço e que não mais
se pronunciam.
Estão perenes no silêncio
como grandes colunas ocultas
na variedade das cores de abril.
Os anos só se percebem no inverno.
É possível alguém ter
notado animais
em fuga,
tomados de pânico
ou remorso.
Mas os anos só se percebem no inverno.
E a cada um deles subtraímos
companheiros e direitos,
e a cada um deles o vento vem
mais profundo, mais grave,
mais lúgubre ave,
vem, oh vento, vem
cortante e todo extenso
cobrir aldeias,
cobrir Paquetás,
cobrir de estrelas
as redes grenás,
vem agir em redemoinho
varrer todo todo continente.
A capital da América do Sul
está crivada de balas
intencionalmente perdidas.
E as manchas sobre os ternos
vêm de altaneiras caravelas
sobre a poesia do mar.
Fazia bem eu catar conchas
no fundo do quarto da minha infância
quando ouvia triste
as longas conversas em dialeto,
eu entendia o que me era caro,
da minha nonna.
Parecia que o mar foi apenas
um caminho estreito onde um dia
ela veio rir alto em Itapetininga.
A ave do esquecimento constrói seu ninho
entre o raio de sol e a madeira polida do chão.
Numa nota musical de Perlman,
a manhã de abril
se abre toda como quando o silêncio
se fez música.
Fiori Esaú Ferrari

Alice In Chains - Again

A Vida é Líquida


Hilda Hilst - (1930 - 2004)
É crua a vida. Alça de tripa e metal.
Nela despenco: pedra mórula ferida.
É crua e dura a vida. Como um naco de víbora.
Como-a no livro da língua
Tinta, lavo-te os antebraços, Vida, lavo-me
No estreito-pouco
Do meu corpo, lavo as vigas dos ossos, minha vida
Tua unha púmblea, me casaco rosso
E perambulamos de coturno pela rua
Rubras, góticas, altas de corpo e copos.
A vida é crua. Faminta como o bico dos corvos.
E pode ser tão generosa e mítica: arroio, lágrima
Olho d’água, bebida. A vida é liquída.
Também são cruas e duras as palavras e as caras
Antes de nos sentarmos à mesa, tu e eu, Vida
Diante do coruscante ouro da bebida. Aos poucos
Vão se fazendo remansos, lentilhas d’água, diamantes
Sobre os insultos do passado e do agora. Aos poucos
Somos duas senhoras, encharcadas de riso, rosadas
De um amora, um que entrevi no teu hálito, amigo
Quando me permitiste o paraíso. O sinistro das horas
Vai se fazendo olvido. Depois deitadas, a morte
É um rei que nos visita e nos cobre de mirra.
Sussurras: ah, a vida é liquída.

Edouard Vuillard (1868-1940) - Still Life with Bottle and Carafe

ELO




Quando a noite descer
Serás tu
O meu único elo

Com o sol.


GONÇALO SALVADO in DUPLO ESPLENDOR (Edições Afrontamento, 2008)

by GEORGIA O'KEEFFE Black Place III, 1944

29.5.17

The Reverend Peyton's Big Damn Band "Clap Your Hands"

"As teclas do piano são pretas e brancas, mas elas soam como um milhão de cores em sua mente" - Maria Cristina Mena


"De tudo que eu vi,
É você que eu quero continuar vendo:
De tudo que eu toquei,
É a sua carne Eu quero continuar tocando.
Adoro o seu riso laranja.
Estou emocionado com a visão de você dormindo.

O que devo fazer, amar, ser amado?
Eu não sei como os outros amam
Ou como as pessoas amaram no passado.
Eu vivo, te observando, te amando.
Estar apaixonado é minha natureza. "
- Pablo Neruda


Chris De Burgh - The Lady In Red

"Dama de vermelho"

Eu nunca vi você parecer tão encantadora como esta noite
Eu nunca vi você brilhar tanto
Nunca vi tantos homens perguntar se você queria dançar
Eles estão à procura de um pouco de romance, só meia chance
E eu nunca tinha visto esse vestido que está usando
Ou as madeixas no cabelo que atraem seus olhos
Eu tenho sido cega

A Dama de vermelho está dançando comigo, cheek to cheek
Não há ninguém aqui, é só você e eu
É onde quero estar
Mas eu mal reconheço esta beldade ao meu lado
Eu nunca vou esquecer a maneira como você olha hoje

Eu nunca vi você parecer tão deslumbrante como esta noite
Eu nunca vi você brilhar tanto, você foi incrível
Nunca vi tanta gente queria estar lá ao seu lado
E quando você se virou para mim e sorriu, ela tirou o meu fôlego
E eu nunca tive tal sensação
Tal sensação de amor completo e absoluto, como eu hoje

A Dama de vermelho está dançando comigo, cheek to cheek
Não há ninguém aqui, é só você e eu
É onde quero estar
Mas eu mal reconheço esta beldade ao meu lado
Eu nunca vou esquecer a maneira como você olha hoje

Eu nunca vou esquecer a maneira como você olha hoje
A Dama de vermelho, a dama de vermelho
A Dama de vermelho, minha dama de vermelho

Eu te amo

Chris Burgh




"Lady In Red"

I've never seen you looking so lovely as you did tonight
I've never seen you shine so bright
I've never seen so many men ask you if you wanted to dance
They're looking for a little romance, given half a chance
And I have never seen that dress you're wearing
Or the highlights in your hair that catch your eyes
I have been blind

The lady in red is dancing with me, cheek to cheek
There's nobody here, it's just you and me
It's where I want to be
But I hardly know this beauty by my side
I'll never forget the way you look tonight

I've never seen you looking so gorgeous as you did tonight
I've never seen you shine so bright, you were amazing
I've never seen so many people want to be there by your side
And when you turned to me and smiled, it took my breath away
And I have never had such a feeling
Such a feeling of complete and utter love, as I do tonight

The lady in red is dancing with me, cheek to cheek
There's nobody here, it's just you and me
It's where I want to be
But I hardly know this beauty by my side
I'll never forget the way you look tonight

I never will forget the way you look tonight
The lady in red, the lady in red
The lady in red, my lady in red

I love you

CHRIS  BURGH


François Bouchard




"Fomos todos para a cama com o lobo, mas o que não podemos fazer é confundi-lo com a avó. Chapeuzinho Vermelho era boba".
~Ana Maria Matute


"Curiosidade e admirarão são minha religião" - Henry Miller



(Imagem de outono pelo lago reflexão) 
Foto de Northy Gregory

R.I.P. Chris Cornell - Billie jean (acoustic live)



Rest in peace Chris. 05/17/17

Noite carioca


Diálogo de surdos, não: amistoso no frio.
Atravanco na contramão. Suspiros no
contrafluxo. Te apresento a mulher mais discreta
do mundo: essa que não tem nenhum segredo.
-  Ana Cristina Cesar, em "A teus pés". São Paulo: Editora Ática/IMS, 1998.


by Artem Rogowoi

Algo sucede


Gloria Fuertes - (1917 - 1998)
Algo me está acontecendo, aqui dentro do peito.
Voam formigas, discorrem peixes.
O sangue soa e rufa o tambor.
Há um incêndio ao pé do meu pulso.
O tigre lança de novo sua mensagem.
Meu leito tem sede de outra figura.
Tornam as veias a cantar presságios.
Volta a insónia com seus mil disfarces.
Lavo as mãos para as fazer suas,
penteio o cabelo, sorrio às vizinhas.
E tudo o que miro converte-se em água.
Isto é amor, o restante miséria!


•Father Seraphime - Chant in Aramiac language

- Mãos.
Bochechas
Olhos.
Lábios.
Pescoço.
Orelhas.
Coxas.
Coração.
Alma.

Ahh!
As coisas que eu consigo
Saborear com você ".

- Sanober Khan



A DOR QUE SE DESEJA!



Fecho as pernas 
por entre os braços que me abraçam,
cerro os olhos
e ouço apenas o coração
ritmado dentro do peito,
ouço as águas do ribeiro
beijando as margens verdejantes,
ouço as minhas lágrimas;
.
E calo-me,
calo-me em ti.
.
A felicidade também dói,
o amor dói,
a paixão dói.
.
Afagas-me o rosto com a ponta dos dedos
e há um sorriso encantador que te marca as faces,
tremo as mãos
e o coração quer rasgar-se por dentro.
.
Sinto a areia molhada onde me sento
e acomodo melhor o corpo,
.
Pincelo na areia o teu nome
e deixo que a espuma das águas o envolva…
partilho-te…
e partilho-te com o vento,
.
O relógio parou no meu pulso
para que o tempo se eternize em nós.
.
A felicidade também dói,
o amor dói,
a paixão dói,
.
Mas dói no outro lado do peito

©FRANCISCO VALVERDE ARSÉNIO 

Boutros Al-Maari - Syrian Artist 

Chris Cornell * A Day In The Life (Beatles Cover) Live HD

A cigarra... Ouvi
Nada revela em seu canto
Que ela vai morrer.

-Bashô, Quatro Haicais,Tradução:
Manuel Bandeira.



Magic Act - Robert Burridge
Morre Dalva Funaro Gasparian, fundadora do jornal "Opinião", dona da livraria Argumento, dentre outras atividades da Cultura. 
Para seus filhos aconselhava:
"Quando a vida começar a pesar nos seus ombros, nunca dobre os joelhos, ou você não levanta mais".
24.05.2017

transparence-arthur-luiz-piza-Gravura em metal a buril e relevo de Arthur Luiz

Yasmine Hamdan - Beirut





Beirute
Uma flor fora de seu terreno
Beirute
Oh, sua beleza, seus bons velhos tempos
Beirute
Que final terrível, tudo um desperdício
Murchando

Tristeza no Céu


No céu, também, há uma hora melancólica
Hora difícil em que a dúvida penetra as almas
Por que fiz o mundo?
Deus se pergunta e se responde: “Não sei”
Os anjos olham-no com reprovação e plumas caem
Todas as hipóteses
A graça, a eternidade, o amor, caem
São plumas
Outra pluma, o céu se desfaz
Tão manso, nenhum fragor denuncia
O momento entre tudo e nada
Ou seja, a tristeza de Deus
 Carlos Drummond de Andrade



DESCABIDO


Em entrevista à Folha de São Paulo de ontem (18/06/2016), o neurocientista Ivan Izquierdo, declarou:
"A psicanálise é de quando não conseguíamos ver o que acontecia no cérebro. Vão falar de inconsciente? Onde fica? Não posso acreditar em algo só porque é interessante."
Aí que está. Peço licença ao ilustre cientista, orgulho nosso (argentino naturalizado brasileiro), com "22.794 citações em periódicos, 60 premiações e 710 artigos publicados".
O inconsciente, justamente, "não está", não "fica": ele fala. Não é preciso acreditar, pois acreditando ou não, a gente sonha, tropeça, esquece, faz o que não quer, quer o que não faz, diz sim quando a vontade é dizer não, e o contrário.
Interessante? Bem, claro ele nos interessa, mas não no sentido de algo que se vê, contempla, analisa, como um objeto, uma pintura, um neurônio. O inconsciente não é da ordem do ver, do ter, do ser. Interessante no inconsciente é isso: ele é puro espanto. E não tem neurônio nenhum que dê conta disso e faça caber espanto dentro dele.
Espanto é descabido, não cabe em lugar nenhum: ele desafora. É o próprio desaforo, descabimento de nós fora de nós.
Claudio Pfeil
(Louis Blanc, Corpus, Galerie Bettina, Paris)


Bloodline Opening Credits/Scene (Intro) 1080p Full HD




A música tema de abertura da série Bloodline (Netflix) é da banda Book of Fears "The Water Lets You In".


Photography by Hengki Koentjoro




"Eles flutuam sobre a superfície da escuridão em que estou me afogando"
~ Anne Rice


Foto de North Gregory

28.5.17

E.S.T. - Where We Used To Live

A POESIA NÃO VAI

Eugénio de Andrade - (1923 - 2005)
A poesia não vai à missa,
não obedece ao sino da paróquia, 
prefere atiçar os seus cães
às pernas de deus e dos cobradores
de impostos.
Língua de fogo do não,
caminho estreito
e surdo da abdicação, a poesia
é uma espécie de animal
no escuro recusando a mão
que o chama.
Animal solitário, às vezes
irónico, às vezes amável,
quase sempre paciente e sem piedade.
A poesia adora
andar descalça nas areias do verão.
© EUGéNIO DE ANDRADE
In Sal da Língua, 1995

andrea becker-aschauer
Eu sempre tive acesso a outros mundos. Todos nós temos _ porque sonhamos.
Leonora Carrington





Soundgarden - Black Hole Sun



Canta o que se perde,
este resto de chuva.
Não é teu? Que o vento leve
como a chuva.
Repara: o tempo é breve
e a vida, curva.
A enxurrada arrasta
para longe o que te curva.
Canta o que se perde,
a hora turva.
No calendário, a unha arranha
a data turva.
E tudo desce pelas ruas
com a chuva.
Nela se perde, em curva breve,
a dor mais turva.

Katia Borges

Arthur Luiz Piza

The Breeders - Shocker In Gloomtown

E se eu te mostrar o meu lado escuro, tu me aperta igualmente esta noite?

- Pink Floyd -


Magic Act - Robert Burridge
"À noite, Amor, amarre seu coração ao meu, e os dois
juntos, em seu sono, derrotarão a escuridão "
- Pablo Neruda, 100 Sonetos de Amor

Leszek Bujnowski.
"A História mentiu para você. Não são os vencedores que a contam. São os sobreviventes. E, por favor, acredite em mim, sei do que falo: nem todo sobrevivente é um vencedor".
(pimenta do reino)



Eleni Karaindrou Ulysses Gaze

"Conte-me
algo mais feroz
 do que o amor com que
Eu olho para você

De algo mais suave
que a ternura
Com a qual eu te seguro. "
- Sanober Khan


HOJE


Tradução: Beatriz Bastos
Ah! cangurus, paetês, milk-shakes!
Que beleza! Pérolas, gaitas,
jujubas, aspirinas! todas essas
coisas sobre as quais sempre se fala

ainda fazem de um poema uma surpresa!
Elas estão conosco todos os dias mesmo
que em casamatas e catafalcos. São coisas
com sentido. São fortes feito pedra.


 Frank O'Hara (1926-1966)