24.3.17

Beth Hart - Caught Out In The Rain

Tendão de Aquiles

Que saudade do meu filho,
desde a antiguidade, antes de Aquiles
apodrecer na terra com Polixena
Não me deixem morrer sem sepultura
e penar eternamente
Eu caibo em um grão de areia,
em qualquer chuva pequena
Não me raspem a cabeça
que as colunas cairão
Que saudade
e essa cidade tão vazia
soterrada em minha mão
Não me joguem numa ilha
onde Antonieta beije a filha
louca
sem reinado e sem ter pão.
(A.Bolívar)




Esta é a página onde o poema não se deu
onde o alfabeto e a tinta se encontram
onde não há nenhum poeta nem acontece o som
as vogais voam sem produzirem eco
abrem o corpo através do espaço aberto
uma nuvem tão terna um espelho tão doce
as crianças celebram-no esquecendo o seu nome

Maria Azenha


Maria Azenha - "Já disse tantas vezes"

“O que a gente deve de deixar para trás é a poeira e as tristezas...”
.
- João Guimarães Rosa, da novela “Buriti”, em "Noites do Sertão", no livro 'Corpo de Baile'. 1965.



Syria Art - Khaled Youssef - Syrian Photographer and Poet
O amor não sabe escrever. O amor é um punhado de silêncio no olhar do outro.
Fernando Coelho

Um poema e um haicai de Natsume Soseki




Na fragrância deste incenso no qual me consumo,
quando estou cansado, aparentemente,
tua alma aparece na fumaça que se retorce e gira
de amor correspondido. Pobre, pobre de mim.
Quem num mundo tão amargo como este
não desejaria na névoa de seus desejos
o fogo de um de teus apaixonados beijos.

*

Queria
renascer tão pequeno
como uma violeta

* Tradução de Pedro Fernandes de Oliveira Neto


So In Love ~ Pascale Lavoie ~ Cole Porter




"vive o momento, não pense ; sente, usa teu instinto, sente a força"
(Mestre Yoda -" a guerra das estrelas).

Sentir: Quantas vezes esquecemo-nos de sentir. Conhecer como nos sentimos, permite-nos guiar nossos pensamentos seguintes, e dirigir a nossa forma de pensar e agir. Quando entramos em contato com a emoção, quando nós sentimos quando a respiramos, longe de qualquer interpretação ou julgamento sobre si mesmo ou sobre os outros, podemos abrir uma porta para a consciência. Nesse ponto de observadores que não se deixam levar pelos altos e baixos da emoção, podemos distinguir a necessidade que há por trás daquela emoção inicial.

Quando somos capazes de permanecer nesse ponto, podemos ver a estratégia que segue nosso ego para satisfazer a necessidade emergente e a profunda necessidade que realmente precisa ser atendido. A estratégia baseia-se em ações, simples coisas que você pensa, diz e faz, como a necessidade de abraçar um amigo; esta necessidade emergente está associada a uma profunda necessidade de amar e ser amado, dar e receber amor, e também Medo de ser rejeitado ou estar sozinho.

Ao ser consciente e sentir, por não agir de forma automática, ao entrar em contato com a profunda necessidade, podemos soltar esse apego à estratégia habitual que empregamos. Desta forma soltamos também o apego ao que aprendemos quando éramos pequenos, aquele pedaço de nossa história pessoal que ativou a nossa necessidade e a emoção aflictiva associada. Nós podemos curar as feridas internas, pois também entramos em contato com a nossa criança interior e desculpe

Extrato e nota completa
http://www.revistaesfinge.com/salud/desarrollo-personal/item/1335-la-atencion-el-poder-de-la-fuerza

Três poemas para duas fotos

E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim não vale nada. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos dourados. Então será maravilhoso quando tiveres me cativado. O trigo, que é dourado, fará com que eu me lembre de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...
Antoine de Saint-Exupéry

*

"Mi corazón sombrío te busca, sin embargo,
y amo tu cuerpo alegre, tu voz suelta y delgada. 
Mariposa morena dulce y definitiva,
como el trigal y el sol, la amapola y el agua."
Pablo Neruda

*

Sensação
.
Pelas tardes azuis do Verão, irei pelas
sendas, 
Guarnecidas pelo trigal,
pisando a erva miúda:
Sonhador, sentirei a
frescura em meus pés.
Deixarei o vento banhar
minha cabeça nua.
Não falarei mais, não
pensarei mais:
Mas um amor infinito me
invadirá a alma.
E irei longe, bem longe,
como um boêmio,
Pela natureza, – feliz
como com uma mulher.
Arthur Rimbaud.



Fotos de Abdelghani Faqir

Bebo Valdes & Diego El Cigala - Amar y Vivir

 Quem?
- O Bob Marley.
- Sério?
- Sim. O cara enaltece as drogas e é premiado por isso.
- Um péssimo exemplo para as novas gerações.
- Minha mulher disse que isso é lobby da indústria farmacêutica.
- Sério?
- Sim. Quanto mais drogado no mundo, mais gente precisa tomar remédio.
- Faz sentido. Sua mulher lê pra caramba, né?
- Sim. Ele tem a obra inteira do Sidney Sheldon.
- Ele é bom?
- Sim. Fera. Traduzido até no Japão.
- Minha mulher não lê muito. 
- Precisa, cara. Se a gente não se informar, a indústria do lobby, da Lei Luanê vai dominar tudo. 
- Quem você recomenda além desse Sidnei aí?
- Clarice Lispector. 
- Ela é gringa?
- Não, é daqui. Escreve em brasileiro e tudo. Vou te mostrar minha última tatoo.
- Humm.
- Tá vendo?
- Que língua é essa?
- Hebraico. 
- O que quer dizer?
- É uma frase da Clarice Lispector, que tatuei para homenagear a Valéria.
- Traduz pra mim.
- "Garotos como eu/ Sempre tão espertos/ Perto de uma mulher/ São só garotos".
- Que lindo, cara.
- Top né?


Tom Cardoso



Os dias são outono
choram choram
Florbela Espanca
copos vazios. Fora preciso baixar a cabeça, adunca, ao limite, como o sol se pondo no horizonte, e levantando-se a cada renascer das manhas. Fora preciso o jardim secar em flores murchas, como eu, modestamente. Olhei inúmeras vezes para a porta, e repeti fatigada, teu nome, inutilmente. Era vazia minha casa, e ate a esperança foi embora, lucida, e múltipla, como tu. E então, numa perplexidade de criança, vi a vida renovada, refletida em meus olhos, me trazendo de volta os sonhos. Raquel Less
(Raquel Silva)

© Eva Rubinstein